terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

A MULHER CUBANA NA PERSPECTIVA DO SOCIALISMO


por Maria do Carmo Luiz Caldas Leite[1]

A sociedade cubana não escapa às aceleradas transformações ocorridas no mundo, desde a segunda metade do século XX, que têm influenciado a vida familiar, marcadamente as questões relativas à autonomia da mulher, à redução da fecundidade às mudanças no relacionamento conjugal, ao acentuado número de casais divorciados, ao crescimento de lares monoparentais, que decorrem não apenas do pós-divórcio, mas também do aumento do número de mães celibatárias. A família cubana gravita em torno da mulher, podendo se caracterizar como sendo de base matrifocal.
Para tal, mais do que derrubar tabus e barreiras machistas, foram introduzidos  novos  conceitos. Muitas das políticas implementadas nasceram com a Federación de Mujeres Cubanas –a FMC – fundada em 23 de agosto de 1960. Articulada como base da união de todas as organizações femininas revolucionárias de Cuba, na luta emancipação pela mulher, a Federação é dirigida aos movimentos sociais integrados, com ênfase nos setores de saúde, educação e emprego, necessários para concretizar políticas específicas dirigidas à mulher. Em Cuba, não há discriminação com relação a salários e confinamento a empregos tradicionalmente de mulheres, como a feminização do magistério. Como parte destas conquistas, o aborto foi legalizado em 1965.
Na alvorada do novo milênio, as mulheres cubanas representavam:
    44% da força laboral do país 
    66% da força técnica qualificada.
    58 % das matrículas universitárias
    31% das Assembléias de Poder Popular
    36% do Parlamento Nacional
  Na expressão de qualquer pensamento progessista, há décadas está claro que somente o trabalho poderá garantir uma independência concreta aos seres humanos, independentes do gênero. É pelo trabalho que a mulher vem diminuindo a distância que a separava do homem na sociedade cubana. Entretanto, a incorporação da mulher ao mundo laboral está estreitamente vinculada à atenção dada infância, que em Cuba tem início no primeiro trimestre de gravidez. O Código da Família de 1975, renovado em 2003, estabelece a responsabilidade compartilhada entre mãe e pai para proteger, cuidar e preparar os filhos para a vida. A trabalhadora gestante está na obrigação de cessar suas atividades laborais ao completar trinta e duas semanas de gravidez, ou trinta semanas no caso de gêmeos, e tem direito à licença de dezoito semanas, compreendidas seis antes do parto e doze após. Uma vez concluída a licença pós-natal, a mãe e o pai poderão decidir, em comum acordo, qual deles cuidará do filho e a forma como distribuirão as responsabilidades, até completar o primeiro ano de vida da criança, devendo comunicar a decisão conjunta e o pedido de licença remunerada, de um deles, por escrito, à administração do centro de trabalho de ambos. Se a mãe trabalhadora decidir incorporar-se ao trabalho, terá para comparecer ao centro assistencial pediátrico. O pai ou a mãe de menor de idade com disfunção física ou mental tem direito à licença remunerada até que a criança complete dois anos. As atenções à gestante, dentre outros cuidados, permitem que Cuba apresente a taxa de mortalidade infantil de 5,8 por mil nascidos vivos, número que ocupa o segundo lugar nas Américas, apenas superado pelo Canadá.
As crianças, ao ingressarem na educação primária, em geral, receberam atendimento no sistema pré-escolar. A organização da educação infantil é feita com base nas instituições formais, os chamados “Círculos Infantis”. Em Havana há 418 círculos infantis e as estatísticas mostram que nos primeiros quarenta anos do período revolucionário foram criadas 1.107 instituições de educação formal para menores de seis anos em todo o país. Dentro da educação não-formal, no programa ‘Educa a Tu Hijo’ os pais têm a possibilidade de obter as informações necessárias para conseguir melhor educação, caracterizada pelo desenvolvimento das capacidades e potencialidades das crianças. Esse programa é organizado pela comunidade e funciona em local adequado e escolhido por essa. É frequentado pelas crianças duas vezes por semana, durante duas horas, e nele, juntamente com os adultos responsáveis pelas crianças (geralmente a mãe que não trabalha ou a avó), são promovidas atividades entre os alunos das escolas formais e do projeto não formal.
Segundo dados da Unesco[2], o estado Cuba atende 89,9% de todas as suas crianças em idade de educação infantil, o maior índice dos países latino-americanos. De acordo com as idades, a média, entre os menores até três anos, é de seis crianças para cada adulto. Para as demais crianças, nos outros grupos, a proporção é de dois adultos, uma professora e uma auxiliar pedagógica por turma de 25 crianças. As instituições são administradas pelos conselhos populares em que participam direção, representante dos pais, representantes das organizações de massa, um médico e duas enfermeiras, que trabalham diariamente atendendo crianças, adultos e comunidade. Na busca de um homem novo, pela reapropriação da natureza humana, a família cubana, centrada na figura da mãe, é entendida como espaço marcante de realização, desenvolvimento e consolidação das relações sociais, pois é nesse contexto que as crianças aprendem, sobretudo, competências relacionais básicas, tais como: partilhar, ouvir, saber pedir, negociar, lidar com amigos e com inimigos, aprender com os outros, obter a aceitação do grupo e a noção de coletivo. Na raiz do pensamento de José Martí, “educação da mulher garante e anuncia os homens que dela hão de surgir, desenvolvidos no calor do lar”.
Mais do que demandas estreitas e imediatas, estas batalhas fazem parte da luta maior contra a exploração do seres humanos por seres humanos, firmadas sob uma nova perspectiva, negando a suposta fatalidade biológica que contribuiu para circunscrever a mulher às funções femininas, vistas como subalternas, estreitamente ligadas ao lar, à reprodução e à família, drasticamente desvalorizadas por serem consideradas economicamente improdutivas. No discurso desterritorializado sobre a emancipação feminina, da confrontação de idéias emergem dois paradigmas: um idealizado com toda carga de expectativas e sonhos, e o outro, construído no limite das condições humanas e no âmbito das dificuldades de várias ordens. No dizer de Fidel Castro:
“A experiência cubana demonstra que o desaparecimento do capitalismo não implica no desaparecimento automático da discriminação de gênero, o que confirma a necessidade de impulsionar a revolução das mulheres dentro da revolução socialista, através de um processo cultural, educativo e político”.

Maria do Carmo 
Luiz Caldas Leite


[1] Professora de Física, mestre em Educação, autora da pesquisa desenvolvida nas escolas em Cuba: http://grabois.org.br/portal/noticia.php?id_sessao=24&id_noticia=653
[2] UNESCO. Educación para todos, el imperativo de la calidad: informe de seguimiento da la EPT en el mundo. Paris: Organización de las Naciones Unidas, 2005. 

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Carnaval 2012: com Sanatório Geral e Tambores do Maracatu Solar!

Benfica, bairro tradicionalmente cultural de Fortaleza, conseguiu transformar a Praça da Gentilândia e as ruas em seu entorno, numa "Olinda" cearense, com seus Bonecos e as famílias, alegremente e originalmente fantasiados, num carnaval 'família' e saudável como quê! Ainda tínhamos os Tambores do Maracatu Solar, numa viagem no 'Balaio' de batuques. Loas de Maracatus, tradicional dança dramática de origem afro-brasileira, presente na cultura do povo cearense.
                Parabéns a quem organizou e participou. Muito obrigada, podermos estar com nossa prole nessa "fantasia"!
                                                             SANATÓRIO GERAL

 MARACATU SOLAR


Quer sentir um pouco dessa emoção?
Clique no link e aproveite!


domingo, 26 de fevereiro de 2012

A VERDADE: Quem está por trás de Yoani Sánchez?

☆──══♦ Mas, não responde mesmo!!! ♦══──As 40 perguntas que Yoani Sánchez não irá responder - Pragmatismo Político http://t.co/L6zUF9xEKhvia @LuisSoares_ 
http://averdade.org.br/2012/02/quem-esta-por-tras-de-yoani-sanchez/

           Yoani Sánchez, famosa blogueira cubana, é uma personagem peculiar no universo da dissidência cubana. Nenhum opositor foi beneficiado com uma exposição midiática tão massiva, nem com um reconhecimento internacional semelhante em tão pouco tempo. Após emigrar para a Suíça em 2002, ela decidiu retornar a Cuba dois anos depois, em 2004. Em 2007, integrou o universo de opositores a Cuba ao criar seu blogGeneración Y, se tornando uma crítica feroz do governo de Havana.
           Nunca um dissidente cubano – e de nenhum outro lugar no mundo – conseguiu tantos prêmios internacionais em tão pouco tempo e com uma característica particular: deram a Yoani Sánchez dinheiro suficiente para viver tranquilamente em Cuba até o resto de sua vida. Na realidade, a blogueira tem retribuído à altura os 250 mil euros que recebeu, o que equivale a mais de 20 anos do salário mínimo em um país como a França, a quinta potência mundial. O salário mínimo em Cuba é de 420 pesos, o equivalente a 18 dólares ou 14 euros. Isto é, Yoani Sánchez recebeu 1.488 anos de salários mínimos cubanos por sua atividade opositora.
              Yoani Sánchez tem estreita relação com a diplomacia estadunidense em Cuba, como demonstra um documento “secreto”, por seu conteúdo sensível, emitido pela Seção de Interesses Norteamericanos (Sina). Michael Parmly, ex-chefe da Sina em Havana, que se reunia regularmente com Yoani Sánchez em sua residência diplomática pessoal como indicam os documentos confidenciais da Sina, manifestou a sua preocupação em relação à publicação dos documentos diplomáticos dos EUA pelo WikiLeaks: “Ficaria muito incomodado se as numerosas conversações que tive com Yoani Sánchez fossem publicadas. Ela poderia pagar as consequências por toda a sua vida”. A pergunta que vem imediatamente à mente é a seguinte: por quais razões Yoani Sánchez estaria em perigo se a sua atuação, como afirma, respeita o marco da legalidade?
             Em 2009, a imprensa ocidental divulgou massivamente a entrevista que o presidente Barack Obama havia concedido à Yoani Sánchez, e que foi considerado um fato excepcional. Yoani também afirmou que enviou um questionário similar ao presidente cubano Raúl Castro e que o mesmo não se dignou a respondê-lo. No entanto, os documentos confidenciais da Sina, publicados pela WikiLeaks, contradizem essas declarações. Foi descoberto que foi um funcionário da representação diplomática estadunidense, em Havana, quem, de fato, redigiu as respostas à dissidente e não o presidente Obama.
Mais grave ainda, a Wikileaks revelou que Yoani, diferente de suas afirmações, jamais enviou um questionário a Raúl Castro. O chefe da Sina, Jonathan D. Farrar, confirmou a informação através de um e-mail enviado ao Departamento de Estado: “Ela não esperava uma resposta dele, pois confessou que nunca enviou (as perguntas) ao presidente cubano”.

A conta de Yoani Sánchez no Twitter

                Além do sítio Generación Y, Yoani Sánchez tem uma conta no Twitter com mais de 214 mil seguidores (registrados até 12 de fevereiro de 2012). Somente 32 deles moram em Cuba. Por outro lado, a dissidente cubana segue a mais de 80 mil pessoas. Em seu perfil, Yoani se apresenta da seguinte maneira: “Blogger, moro em Havana e conto a minha realidade através de 140 caracteres. Tuito, via sms sem acesso à web”. No entanto, a versão de Yoani Sánchez merece pouco crédito. Na realidade é absolutamente impossível seguir mais de 80 mil pessoas apenas por sms, a partir de uma conexão semanal em um hotel. É indispensável um acesso diário para isso na rede.
                   A popularidade na rede social Twitter depende do número de seguidores. Quanto mais numerosos, maior a exposição da conta. Da mesma maneira, existe uma correlação entre o número de pessoas seguidas e a visibilidade da própria conta. A técnica que consiste em seguir diversas contas é utilizada para fins comerciais, assim como para a política durante as campanhas eleitorais.
            O sítio www.followerwonk.com permite analisar o perfil dos seguidores de qualquer membro da comunidade do Twitter. O estudo do caso Yoani Sánchez é revelador em vários aspectos. Uma análise dos dados da conta do Twitter da blogueira cubana, realizada através de seu sítio, revela que a partir de 2010 houve uma atividade impressionante de sua conta. A partir de junho de 2010, ela se inscreveu em mais de 200 contas por dia, em uma velocidade que poderia alcançar até 700 contas em 24 horas. Isto é, passar 24 horas diretas fazendo isto – o que parece improvável. O resultado é que é impossível ter acesso a tantas contas em tão pouco tempo. Então, parece que isto só é possível através de um robô.
                  Da mesma maneira, descobrimos que cerca de 50 mil seguidores de Yoani são, na realidade, contas fantasmas ou inativas, que criam a ilusão de que a blogueira cubana goza de uma grande popularidade nas redes sociais. Na realidade, dos 214.062 perfis da conta @yoanisanchez, 27.012 são novos (e sem fotos) e 20.600 são de características de contas fantasmas com atividades inexistentes na rede (de 0 a 3 mensagens enviadas desde a criação da conta). Entre estes fantasmas que seguem Yoani no Twitter, 3.363 não têm nenhum seguidor e somente 2.897 seguem a blogueira, assim como a uma ou duas contas. Algumas apresentam características bastante estranhas: não têm nenhum seguidor, seguem apenas Yoani e emitiram mais de duas mil mensagens.
               Esta operação destinada a criar uma popularidade fictícia, via Twitter, é impossível de ser realizada sem acesso à internet. Necessita de um apoio tecnológico e um orçamento consequente. Segundo uma investigação realizada pelo diário La Jornada, com o título El ciberacarreo, la nueva estrategia de los políticos en Twitter, sobre operações que envolviam os presidenciáveis mexicanos, diversas empresas dos Estados Unidos, Ásia e América Latina oferecem este serviço de popularidade fictícia (“ciberacarreo” ou em português ciber transporte) por elevados preços. “Por um exército de 25 mil seguidores inventados no Twitter , escreveu o jornal, pagam até dois mil dólares, e por 500 perfis manejados para 50 pessoas é possível gastar entre 12 mil a 15 mil dólares”.
               Yoani Sánchez emite, em média, 9,3 mensagens por dia. Em 2011, a blogueira publicou uma média de 400 mensagens por mês, O preço de uma mensagem em Cuba é de um peso convertido (CUC), o que representa um total de 400 CUC mensais. O salário mínimo em Cuba é de 420 pesos cubanos, ao redor de 16 CUC. Yoani Sánchez gasta, por mês, o equivalente a dois anos de salários mínimos em Cuba. Assim, a blogueira gasta em Cuba com o Twitter, um valor correspondente, caso fosse francesa, a 25 mil euros mensais ou 300 mil euros por ano. Qual a procedência desses recursos para estas atividades?
              Outras perguntas surgem de maneiras inevitáveis. Como Yoani Sánchez pode seguir a mais de 80 mil contas sem acesso permanente a internet? Como conseguiu se inscrever em 200 contas diferentes por dia, desde junho de 2010, com índices que superam até 700 contas/dia? Quantas pessoas seguem realmente as atividades da opositora cubana na rede social? Quem financia a criação das contas fictícias? Qual o objetivo? Quais os interesses escusos detrás na figura de Yoani Sánchez?
Salim Lamrani
* Salim Lamrani é graduado na Universidade de Sorbone, professor encarregado dos cursos da Universidade Paris-Descartes e da Universidade Paris-Est Marne-la-Vallée e jornalista francês, especialista nas relacões entre Cuba e Estados Unidos. Autor de Fidel Castro, Cuba y Estados Unidos (2007) e Doble Moral. Cuba, la Unión Europea y los derechos humanos (2008), entre outros livros.
Fonte: La Jornada
Tradução de Sandra Luiz Alves

Solidários: Nova farsa de Yoani Mercenária: SEGUIDORES FANTASM...
Solidários: Nova farsa de Yoani Mercenária: SEGUIDORES FANTASM...: O artigo do francês Salim Lamrani, publicado no jornal mexicano La Jornada , traz novas verdades sobre a mentira chamada Yoani Sánchez....

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

BRASIL: presos y ex esclavos construyen los estadi... (Blog da Dilma)

BLOG DA DILMA: Brasil: presos y ex esclavos construyen los estadi...: El gobierno brasileño empleó a reos y obreros que eran explotados en tareas agrícolas para avanzar en los preparativos de la próxima Copa de...


Calle 13- Latino America con Susana Baca, Totó la Momposina y María Rita




quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

FORA COM RACISMO E/OU HIGIENIZAÇÃO ÉTNICO-SOCIAL!


Escrevo talvez, de mãe para mãe ou para pai, para você. 
Hoje sou só uma mãe que gostaria de um colo de mãe ou de pai, presenças físicas que nosso egoísmo exige de vez em quando... só pra colocar em seus ombros ou dividir um instante desta trajetória de vida que, de vez enquanto quer nos surpreender com sua rudeza e nos fazer fraquejar. E faço a empatia e me vejo agindo como se eles me observassem, pelo menos no meu papel de “pãe”, no cenário desta peça, deste teatro da vida.
Minhas lágrimas correm abundantes por sobre meu sorriso... mas sei também que ambos incomodam a distintas platéias e por motivos bem antagônicos. Amanhã, precisarei estar forte, assim como precisei ontem e certamente diante de outras tantas cenas desafiadoras neste capítulo atual. E me vejo repetindo, a mim mesma, que é só mais um emocionante e desafiador ato nesta trama de autoria Divina.
Tenho consciência que esta etapa faz parte do meu mister, assim como também tenho a consciência do dever de lutar. E citando a mim mesma, do livro Sonho – Uma Percepção da Verdade, repiso “que somos testados severamente, purificados, aperfeiçoados, até que estejamos prontos! Somos, sim, provados exaustivamente. Não para nos tornarmos frios; mas fortes!”

A Solidariedade humana ultrapassa nosso entendimento e é uma das formas mais lindas e puras de transmitir ao próximo nosso carinho e nosso coração. Ato Nobre que nunca faz mal, pelo contrário, é aquela mão que encontramos quando a nossa está estendida na angústia das incompreensões da vida.  É Ação Generosa, sublime, pois é desinteressada. Se tivermos generosidade da solidariedade, encontraremos amor na humildade do que a recebe.

Nestas palavras vai o meu Amor do Carinho de vocês comigo, que se solidarizam em momento de tristeza e desabafo, inclusive aos que enviam mensagens particulares... meu coração também é de vocês, que fazem esse momento ser só mais uma etapa nesta nossa Luta, que é constante, em melhoras na Vida de toda Criatura Humana, com Direitos, Deveres e muita Dignidade, sem Discriminações torpes de “RACISMO E/OU HIGIENIZAÇÃO ÉTNICO-SOCIAL!

Deus abençoe a todos e todas, conto com vossas boas energias emanadas, Namastê!

¡hay que endurecerse, pero sin perder la ternura jamás! Che

*Amanhã, 16 de fevereiro de 2012, haverá mais uma audiência com Lojas Renner (Shopping Iguatemi-Fortaleza) que discriminou minha filha há mais de dois anos (ela estava com 11 de idade)
Esse artgo também foi publicado no Blog da Dilma no dia 15 de fevereiro: http://dilma13.blogspot.com/2012/02/fora-com-o-racismo.html?spref=fb
Tem coisas que não precisamos falar, estas imagens que seguem falam por si só, confiram pois são muito fortes...

o melhor video sobre racismo


Gabriel o pensador - Lavagem cerebral


Não se deve confundir o silêncio de muitos com aprovação a atitudes solertes e sorrateiras indesejáveis. Como alertava o grande Martin Luther King, nos idos dos anos 1960, o que preocupa não é o grito dos maus, mas o silêncio dos bons. Nesse diapasão, mais uma indagação: O que leva alguns a subestimar a capacidade dos outros de perceber determinados comportamentos?
Nossa manifestação, divulgando, o fazemos, para chegar ao conhecimento de toda a sociedade. Não vamos admitir silentes ao tratamento que algumas pessoas dispensam a outras, de forma torpe como esta e muitos outros no qual já me vi envolvida (estou há 5 anos numa batalha judicial com as lojas Renner/Iguatemi – Fortaleza, que discriminou a mim e minha filha, que tinha apenas 11 anos, à época).

Fora, Racismo. Entra, Dignidade! 

Ser ¡Voz! → http://t.co/ZKFwHqmkVi



terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Peru: Amigos em Todas las Sangres


Quando cheguei da viagem que fiz com uma amiga (Liliane Sales) ao Peru, muitas pessoas me cobravam um artigo que desse minhas “impressões” daquelas andinas terras. Não queria, porém, escrever um artigo retilíneo, burocrático; escrever sim, com minha emoção... Esse, meu desafio. Afinal: livros, internet, empresas de turismo e viagem já o fazem. Não precisam de mim para corroborar essa linguagem.

Minhas primeiras impressões ou sensações ao tocar solo peruano foram de retorno à casa. Quiçá pela identificação com o idioma, pelo calor humano, ou mesmo por aquele céu aberto e ensolarado, que mesmo com temperatura amena, fazia parecer verão. Também pudera, nessa metrópole, fomos informados, a última chuva que caiu foi em janeiro de 1970. Lima é um encanto, a capital do Peru, traz em si a história de sua civilização. A representação de todo o País. O que se repete por cada cidade que se passa... A mistura das tradicionais civilizações pré-colombianas com a cultura espanhola.
                Não vejo contraste; sim, harmonia na junção de monumentos históricos, igrejas e monastérios, casarões coloniais e sítios arqueológicos; com paisagens de nevadas cordilheiras, cultivadas em sistemas de terras, desertos e florestas tropicais, até o maior lago de altitude das Américas (o Titicaca) com as praias do pacífico.
                É peruano de Arequipa, a “cidade branca”, o Nobel de Literatura Vargas Llosa, premiado em 2010. É dele, A Guerra do Fim do Mundo, onde narra a história da Guerra de Canudos.
                Chamada de umbigo do mundo, Cusco, de aura cosmopolita, foi a antiga capital do império inca. Além dos muros centenários, os incas deixaram Qorikancha, templo dedicado ao Arco-íris, à Lua e ao Sol, que até a chegada dos espanhóis, era coberto de ouro. Aí, podemos introduzir às técnicas de construção inca que abunda em Machu Picchu
                A catedral de Cusco foi-me particularmente impactante. Ali, a tentativa de ser uma réplica da Catedral de Toledo, na Espanha, igreja que considero das mais belas que vi pelo mundo por onde andei. Nela, os indígenas que foram usados na mão de obra de sua construção, deixaram suas marcas como provocações ininteligíveis aos espanhóis. Em talhes que remetem à Pachamama, a Mãe Natureza. Na pintura da Santa Ceia, Judas, o traidor, tem a cara do conquistador Francisco Pizarro e no centro da mesa, um cuy, porquinho-da-índia, apreciado pelos incas...
                Em seus arredores, muitos sítios. Essas ruínas e seus Vales Sagrados dão provas da habilidade arquitetônica do império inca. Tambomachay, a mais alta, está há 3811 metros acima do nível do mar. Na Saqsaywaman, a eficiência no perfeito encaixe de pedras.  E Pukapukara, com suas mesas de sacrifícios, dentro da gruta. Para que suportemos o ar rarefeito, nos são oferecidos, pelo menos três vezes ao dia, chá da folha da coca.
Tipón foi a grande surpresa reservada para um último dia pela região. E a emoção que senti em Machu Picchu, se alargou numa intensidade comovedora. Para mim, assim como para muitos, esse povoado localizado nas montanhas, a aproximados 25 quilômetros de Cusco, é exemplo máximo da engenharia hidráulica inca. Sistemas de canais, quedas d’água e fontes compõem o cenário na paisagem que consegue expressar a sábia cultura inca.
                A fonte de quatro quedas remonta aos quatro pontos, das quatro direções, aludindo aos fundadores do império, assim como as pedras cravadas nos muros, formando escadinhas de acesso e o manejo da água nessa sociedade basicamente agrícola, comprova da simplicidade e engenhosa arquitetura inca.
                Aí, novo contato e compromisso com a Pachamama se reavaliaram e se firmaram por completa intensidade.
                Partimos de Cusco no trem Vistadome, pelas encostas do rio Urubamba, até Aguas Calientes, único meio de transporte possível a nos levar. Outras maneiras, somente de helicóptero, também partindo daí ou, o que deva ser a mais interessante de todas, a pé, percorrendo o Caminho Inca até essa pequena, atraente e aconchegante cidadezinha aos pés de Machu Picchu. Onde se pode saborear o “ceviche”, degustar o “pisco” e desfrutar do convívio com sua gente e seu artesanato.
                Em Aguas Calientes, a síntese do que se repete em todo território peruano.
                Pois em todo Peru, construções incas e o sorriso de seus descendentes, que de variadas maneiras, preservam o uso da língua, as roupas e os costumes de seus ancestrais.
                Essa colorida e simpática amálgama nos deu o grande escritor José María Arguedas. Esse etnólogo que renovou a literatura peruana descreveu como ninguém e numa intensidade profunda, a essência da paisagem e, principalmente, da cultura andina.
                Sua obra desvela o profundo amor pela cultura andina de seu país. Sempre defendeu os costumes, os valores étnicos, a cultura e, ao lado de tudo, a língua “quéchua” dos povos andinos. Valorizando deles a solidariedade e a ternura.
                Foi escritor de encontros e desencontros de raças, pátrias. De atuação ativa, repelindo a violência dos mistis, em defesa dos oprimidos. Lamentável que seu livro “Todas las Sangres”, fundamental para a América latina, não conste tradução em nosso idioma português.
                Neste ano, Arguedas teria comemorado cem anos de vida. Em 2011, também se celebra o primeiro centenário da redescoberta da expressão máxima da arquitetura andina, Machu Picchu.
Lá chegamos por sob forte chuva. Mas, nem o ruído nem a aglomeração daquela “babel”, tiraram a sensação de paz e encantamento. Em uma montanha no vale do rio Urumamba, encontramos a famosa “cidade perdida dos incas”, Machu Picchu.
                Entretanto, o céu se abriu. E pra nos receber, escondeu a chuva por detrás de alguma de suas cordilheiras, deixando as nuvens baixinhas a nos acompanhar. E diante de nós, aquela espetacular e majestosa vista, onde os pré-hispânicos adoravam e tinham por sagrada e protetora.
                Num sobe e desce, atravessávamos todas as direções. E em cada uma delas avistávamos outras. As que já havíamos desbravado e as que ainda nos desafiavam. E assim, fomos palmilhando e experimentando emoções no contato com essa civilização. E essa conexão foi ficando mais intensa e mais surpreendente, sobremaneira na aproximação com os nativos, com as “llamas”, com os operários...
                Puente Inka”. Numa sensação de chegada ao nosso intento, a entrega, a contemplação, meditação e reflexão... É possível o encontro com o Sagrado e a Pachamama. 
Depois de alcançada a Cabana do Guardião, seguindo nosso instinto e após explorarmos as quatro direções, atingimos a “
                E foi assim, como se pisasse, ou atuasse na obra de Arguedas que senti o contato com esse povo colorido, alegre, cativante, que se comunica (entre eles) em “quéchua”. Que abraça, beija e confia em você. Vê em cada ser, a possibilidade de wauqemasy*.
 *em “quéchua” = amigos / amizade

dia 25 de novembro de 2011 esse artigo foi publicado no Blog da Dilma, confira:



Bem vindo ao álbum: clique no Link e compartilhe essa emoção.

LIMA / CUSCO / AGUAS CALIENTES

MACHU PICCHU






Dia do Amor


Dia 14 de fevereiro se comemora o Dia Internacional do Amor, e para que não passemos sem um toque desse sentimento tão Divino, vamos povoar esta página com algumas manifestações de Amor... com música, imagens e frases:
                                        Sonho pra sorrir cantar lutar amar e viver
                 
 "QUALQUER MANEIRA DE AMOR VALE APENA"  Milton Nascimento


As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabe sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque te amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor
.
Carlos Drummond de Andrade
                                                               Pétala - Djavan

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.
         Vinícius de Moraes
                                                          
 Três Corações Unidos no Amor


1° Coríntios 13:1-13
Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o sino que tine.
E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda a fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria.
E ainda que distribuísse toda a minha fortuna para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria.
O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá;
Porque, em parte, conhecemos, e em parte profetizamos;
Mas, quando vier o que é perfeito, então o que o é em parte será aniquilado.
Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino.
Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei como também sou conhecido.
Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o 
amor. 


*o significado de Sai Ram é semelhante ao Namastê!


sábado, 11 de fevereiro de 2012

Imagens, Pensamentos & Reflexões de Bob Marley


Belos e profundos pensamentos de Bob Marley que merecem nossa reflexão:
Bob Marley - 06/02/1945 (Jamaica)- †11/05/1981 (EUA)
«A minha música não é contra os brancos. Eu nunca poderia cantar isso. A minha música é contra o sistema, que ensina você a viver e a morrer...» Bob Marley


«A música tem uma coisa boa:
Quando bate
você não sente dor.
»
Bob Marley


“Às vezes construímos sonhos em cima de grandes pessoas... O tempo passa... e descobrimos que grandes mesmos eram os sonhos e as pessoas pequenas demais para torná-los reais!”

"Saudade é um sentimento que quando não cabe no coração, escorre pelos olhos." Bob Marley
“O sonho de um careta é a realidade de um maluco.”

“Há pessoas que amam o poder e outras que têm o poder de amar.”







“A maior covardia de um homem é despertar o amor de uma mulher sem ter a intenção de amá-la.”

“Vocês riem de mim por eu ser diferente, e eu rio de vocês por serem todos iguais.”
...e sobre a Luta!

Link de onde foi selecionado e extraído:
Sonho pra sorrir cantar lutar amar e viver